Postagem em destaque

Mulher - Mãe

Homenagem às Mulheres pelo Dia Internacional da Mulher - 08 de Março de 2015   Lembras quando me destes tuas entranhas Para qu...

10 de jul de 2015



The first perfect score of the season!! Congrats, Rumer & Val! #DWTS
Posted by Dancing with the Stars on Segunda, 4 de maio de 2015

16 de jun de 2015

Viver poesia



 ... E o som da poesia invade meus ouvidos

vai tomando forma dentro da minha boca
Assim como toma forma o beijo doce do meu amor
Ao tocar os meus lábios.
Invade, incrusta nas paredes do meu íntimo 
e sai pelos meus poros,
A jorrar nuances que sopram versos delicados, apaixonados.
... A poesia toma forma dentro do meu coração 
e dilata-se pelas minhas veias a circundar meu corpo, 
sai pelos meus olhos de forma fumegante
Como vulcão em erupção a soltar ao vento palavras no meu silêncio.
O tom da poesia efervesce bolhas coloridas de dentro do meu sonho
Para colorir minhas verdades latentes aproximando
 cada palavra do meu mundo sem cor, toma forma, dá forma, vive quente e multicor.
... E dentro de uma performance etérea, a poesia me vive!

Madalena Gomes
João Pessoa, Pb
08.04.2013

7 de mar de 2015

Mulher - Mãe

Homenagem às Mulheres pelo Dia Internacional da Mulher - 08 de Março de 2015




 
Lembras quando me destes tuas entranhas
Para que eu pudesse juntar todas as
Minhas partículas e me fizesse Ser,
De corpo e alma numa perfeição
Jamais compreendida¿

Lembras quando me preparastes
   Todas as células numa perfeita dinâmica,
Quando uma força enigmática
Me conduziu dentro de ti durante
Longos nove meses
Formando-me, transformando-me!

Depois me deste segurança
E confiabilidade através do teu cheiro,
Das tuas mãos delicadas
E do teu carinho inconfundíveis...
Ensinaste-me os preceitos humanos,
A ter critérios e ser verdadeira.

Hoje ainda és meu baluarte
Onde deposito toda
Potencialidade de caráter e personalidade
Como razão de ser.
Fizeste-me Única!
Obrigada Mãe!

Madalena Gomes
08-05-2007

Publicado no Livro À Flor da Pele - Editora Kelps - 2012

14 de fev de 2015



29 de out de 2014




22 de out de 2014

Lembranças




O vento e a vida te levaram pra bem longe de mim

Vejo apenas o teu vulto lá,

distante no eco dos meus pensamentos, no riso dos meus olhos.

Vejo apenas o acenar alegre de todos os dias

Com olhares mágicos a me chamar

O vento e a vida não me ensinaram a te esquecer

Não me mostraram o caminho do teu deserto

Levaram-te, mas deixaram a saudade e o mesmo bem querer

A música que soa suave, o som dos amores quietos, distantes

De todo o sempre...

Levaram-te... Mas, deixaram o teu brilho no fundo do túnel

O teu cheiro nas flores do meu caminho,

o teu abraço nas noites esquecidas pelo luar,

que só tem tempo para abraçar o mar.

Levaram-te... Mas, esqueceram de levar o som da tua voz,

O riso do teu olhar, o riso do teu corpo quando me abraçava!

Hoje, aqui à soleira da porta vejo o mar gritando teu nome

Para me fazer lembrar a cada onda que abraça a praia,

Que és o amor que o vento e a vida transformaram em súplica

Em distância e lembranças.



Madalena Gomes

João Pessoa, Pb

22.10.2014