Postagem em destaque

Mulher - Mãe

Homenagem às Mulheres pelo Dia Internacional da Mulher - 08 de Março de 2015   Lembras quando me destes tuas entranhas Para qu...

POETAS AMIGOS



MADALENA

Melodia, cantiga de ninar, sonata na madrugada: é o seu falar.
A alvorada serena, nos campos e nas campinas , flor orvalhada do agreste
D oçura que encanta no tom mavioso da voz, olor suave de hortelã
 A moras maduras, lábios carmesins, brilhos de estrelas no olhar que tens
 L írio branco das serras, néctar das borboletas, luzeiro querida do lar
 E nlevo das tardes morenas, poesia ao cair do sol
 N ordestina guerreira, branca flor de laranjeira nas terras de além mar
 A lfazema, alecrim dos campos, dos campos da vida e  do poetar.



Guilhermino Domingues de Oliveira
São Paulo, Sp
03.10.2014






A VERDADEIRA REALIZAÇÃO ÍNTIMA


Quando o homem passa
Pela crucificação interior
Ele recolhe em si
Algo que é mais doce que o mel;
Mais forte que o leão
Ele se torna!

Gildo Oliveira
Rio Verde,
19.01.2011




CONDUZINDO COM SABEDORIA A VIDA



Vamos tocando em frente , céleres,
Com clareza  e vontade forte,  a vida;
 pastoreando, com muita luz,
Os instintos, os apetites e as paixões;
Vitalizando a razão, os fins e os propósitos,
com força  metamorfoseada,  poderosa,  prévia,
rejuvenescedora,
Para que da viva  interação deles façamos surgir,
no solo sagrado do coração etérico humano,
o ritmo da verdadeira vida, o amor !


Gildo P. Oliveira



Longe... Perto!

Há quantas luas não nos vemos
Há tantas luas...!
Tantos sóis raiam todos os dias
Há tantos sóis...
Tantas madrugadas frias
E você não vem me aquecer o coração
Quem sabe, no próximo verão!
talvez uma andorinha te traga
e então......
andarilho , sem rumo, te encontre
e não será em vão......
calaremos todas as nossas fantasias
de amor,
beijarei todos os dias seu coração...
e nos aqueceremos com o fogo da paixão
seremos um só por todos os infinitos
Por enquanto...
tão longe,  mas perto do coração!


Reginaldo Torres
Campina Grande, PB
16.04.2012




Sonho em festa



O amor não aceita ausência.

Se ela está conosco

a saudade é nossa companheira.

Ela nos acalenta, nos dizendo:

-Teu bem volta, espera-o.
Arranja as flores,
sonha com o barco voltando
e um sorriso de criança
para enfeitar a noite do teu bem.
Sonha, pois o sonho
é presença do ausente aos olhos
mas não ao coração.
Nos versos vivemos esses momentos...
Mas a ausência se fez presença
e a festa aconteceu.

Paulo Motta
 
FIO




Há que recuperar o linho grosso

Do silêncio.

Sua trama e trigo,

Os caminhos solitários do silêncio,

Habituados pela memória.


E a vasta seda quase em ruínas

Dos mares

Onde a lua se faz peixe,
Há que recuperá-la,
Barco por barco, fio por fio,
Para poder sonhá-la outra vez.

Há que recuperar o pão repartido,
O mapa escrito na pele do outro,
Sua intimidade e partitura,
Feito com o mesmo tecido das estrelas.

E então, diante do fogo reinventado,


Livro: Um Deus para 2000  pág. 49
Autor: Juan Arias


Áudio deste poema na página inicial
deste  Blog


AMO-TE



Amo-te sim, meu amor!
Por que o amor é lindo!
Amo-te por que em de ti conheci o amor mais belo!
Amo-te como o sol ama a natureza;
Como o azul matiz ama a beleza do mar,
e assim hei de sempre te amar.
Amo-te como a criança
ama o seio materno,
Amo-te com o amor do meu amor,
por ser o amor mais terno;
Amo-te como a primavera ama sua flor.
Amo-te como o luar ama
a densa madrugada...
Amo-te sim!
E assim serás por mim
sempre e para sempre amada.
Amo-te com este amor plangente,
terno, meigo, amor adolescente...
Amo-te como se ama a beleza visível,
como o pássaro ama o ar,
no seu calmo voar.
Amo-te sim!
E assim hei de sempre
te amar.
Amo-te com o amor mais lindo
de um coração.
Amo-te como se ama a melodia
e os versos de cada poesia...
Amo-te amor!
Amo-te no abstrato
aconchegante da emoção.
Amo-te sim!
Amo-te com extrema devoção.


===Edmen=== 





DEUS CUIDARÁ DE TI


Por que preocupações 
com o que há de vir?
Não te preocupes com os dias,
nem com as horas!...
Veja, observe o nascer
das belas manhãs,
das lindas alvoradas,
das irradiantes auroras!
 
Olhe para o interior do seu coração,
sinta da quietude a emoção!
Veja! Estão todas aí!
Então não te preocupes com nada,
pois Deus cuidará de ti.
Sim, Deus cuidará de nós.
Em todas as situações,
em todas as atribulações.
Na tua alegria ou na tua tristeza,
tenha confiança, fé e a absoluta certeza,
 
Deus cuidará de ti.
Quando te faltar a fé, a confiança...
Quando teu semelhante,
ou teus entes queridos 
não mais te amparar,
faz com Deus uma aliança,
pois Ele te ama e sempre irá te amar.
Deus cuidará de nós, Deus cuidará de ti.
E quando a inclemente solidão,
sem que tu queiras
visitar teu coração,
não te preocupes,
pois Ele está em todo lugar
e eternamente irá te amar.
Deus está aí,
Deus cuidará de ti.

===Edmen===
28.03.2012


O SOL DA MEIA NOITE


É fria a madrugada
Sorrateira e silenciosa
Quietude que se impõe na calada da noite
Vozes roucas lamentam infortúnios
É mórbido o momento
Súplicas e suspiros dobrados
Ecoam ao vento em forma de açoite
Explosão no céu
Um cometa mergulha na escuridão
A visão fica turva
É o caminho do medo
Coração disparado
Com um frenesi de emoções
É o sol da meia noite
A noite virou dia
Passo trôpego na calçada
Ritmo desenfreado
Marcha alucinante
Rufar de tambores
O mundo quase acabou
O ontem já se foi
O amanhã ainda não chegou
É o ultimo capitulo de uma era
Que foi escrito por mim


Toninho Vendramini



DA SERIE DEVANEIOS E ROMANTISMO DO RAY PINHEIRO. ( 001A )




Ah! quando lembro de tuas carícias minha amada.

Quando me lembro das tuas carícias,
Carícias essas que me excitavam...
Que me deixavam louco de desejo.
E que em segundos nós...
Enlaçávamos-nos.
 
Era amor esse Clamor divino,
Que tu fazias para me prender.
Era divino como toda a noite...
Que ao chegar queria nos dizer,
Está na hora vão se recolher.
 
 
Parece até que ela tinha pressa,
E era feliz em nos ver deitado,
Quem sabe até que sentisse.
Prazer em nós ver enlaçados.
 
 
A noite sempre foi maravilhosa,
E por isso é chamada a Deusa do amor.
Que inspira aos casais...
A lei do amor que não canso de divulgar
 com remessas de flores lindas e
 em meus escritos e afins.
Sentimentos sublimes e profundos.
Por isso ela é a grande responsável.
Por a maioria dos nascidos...
Nesse mundo terrestre que vivemos
 cheio de desamor e incertezas.
Namastê...

Eu sou Ray Pinheiro.

 Ps:  Postado em blogs, sites, sites sociais,
meus contatos e grupos que escrevo e participo.






As coisas que tu me destes
( ... E eu por temor em perdê-las!)
Escondo em ninhos celestes,
Onde nascem as estrelas...


Jenário de Fátima





O RETRATO



Ao te ver na foto, sentada a beira mar
Entre palmeiras sopradas pelo vento
Era como um quadro a me encantar
E que aliviou todo este meu tormento

Tua beleza tão rara, teu riso iluminado
Seu cabelo curto, em suave desalinho
Acariciado pelo vento, pelo sol beijado
Tua face suave, esperando um carinho

O mar, calmo e silente, parecia invejar
O sol e o vento, que estava a teu redor
Teu vestido, negro, mostrava com pudor
O formato de teu corpo, a me encantar

Por isto agora, com este meu poema
Quero mostrar a ti com muito fervor
Que para você, minha doce  Madalena
E que o poeta, entregou o seu amor...


Ary Bueno
 [ O Príncipe dos poemas e do amor ]




NOSSO BEIJO



Doce
Lábios nos lábios
Saliva
Língua na língua

Beijos molhados
Lágrimas nos olhos
Pulsar de corações
Transbordo de emoções

Doce
Sentidos nos sentidos
Seiva
Do corpo e da alma

Beijos ardentes
Perfuram as almas
Procuram por calmas
Terminam cadentes

Sonhos
Nossos beijos
Verdades
Nossos desejos


Roque Aloisio Weschenfelder
Maio/2011




 COISAS DE PELE...



Coisas de pele, coisas de desejo.
Coisa de corpos nus entrelaçados.
Coisas olhares tortos, revirados.
Coisas de língua muito além do beijo.

Coisas de êxtase, se puxar cabelos.
Coisas de músculos empedrejados.
Coisas de seios rijos excitados.
Coisas de líquido encharcando pêlos.

Coisas de química, coisas de entrega.
Coisas de coxas que de tanto esfrega
Chega-se ao ápice de uma forma insana.

E após o gozo, vai-se alegremente,
Dentre os gametas quem chegar a frente
Perpetuar o dom da Raça Humana.

Jenário de Fátima
16.10.2007



QUERO DIZER QUE TE AMO



Quero dizer que te amo,
Como um viajante à procura de sonhos,
Dentro do meu universo que só tem olhos para o norte,
Aponta o caminho do coração, no ritual de sedução
Há em ti um pouco sol e um pouco de lua,
Ardência no ventre flor que desabrocha
Na cor da volúpia embriagante...
Preciso do teu amor

Quero dizer que te amo,
Subo nas asas do vento
Que embala o começo e o fim das coisas,
Mesmo quando simulo que a saudade não existe.

Quero dizer que te amo,
Para reencontrar a magia,
Luz, fogo que incendeia
A nudez de perfume e plumas
Faísca úmida, animada pelo sopro do infinito.
Desejo entre a razão e o impulso
Enlaçar-te num longo beijo.

Quero dizer que te amo,
Mesmo que as palavras gritassem... Não!
Tu saberias.
Neste poema sem roteiro escuto tua voz
Nos túneis que embalam meus devaneios.
Mesmo que saibas me achar,
Não consigo te encontrar.

Quero dizer que te amo,
Pelo tempo pela vida das fantasias às marcas
Implacáveis do acaso que motiva o escrito destes versos
Nem que seja derradeira visão do amor

PAULO SILVEIRA DE ÁVILA

TEXTO E ÁUDIO
Publicado no Recanto das Letras
Sob o código: T1368437



SEM TEMPO...



"... Já caminho pela metade,
e como não sei o momento em que
irá romper-se o fio,
percorro a estrada bem devagar...
de uma forma sensorial, latente,
vertiginosa sem ser desesperada...
Quero beber o vento!
Quero colher a paisagem!
Quero marcar meus passos
sem ter pressa de deixar pegadas...
Quero sentir meu pranto,
misturando-se ao choro da chuva...
Suavizar minhas cicatrizes
com a lágrima que vem do céu...
Não quero fechar os olhos e dormir,
pra não ver o meu tempo escoar
junto com a ilusão dos meus sonhos...
Quero "estar" um pouco mais...
antes que tudo se transforme
numa noite escura,
pronta pra me dispersar...
Ainda tenho tanto pra dizer...
Ainda tenho tanto pra amar!
Não é justo ver o corpo deteriorar
e sentir a alma e os desejos
quedarem-se incólumes, eternos...
Magoa-me a caminhada rumo ao desconhecido...
Amarro minhas horas,
E sinto que a minha vontade é tão grande
quanto o tamanho de sua inutilidade...
Meu tempo se perde
E eu fico perdida no meio do medo..."

Sonia Pallone
-------------------------------------------------------